Com o objetivo de envolver a comunidade escolar e familiar na identificação dos sinais de violência sexual, o Projeto “Minha Escola, Meu Refúgio”, atua como orientação e conscientização na luta contra o abuso sexual de crianças e adolescentes.

Uma parceria entre a 1ª Vara Criminal de Marabá, por meio da juíza titular, Renata Guerreiro Milhomem de Souza, e a Fundação Casa da Cultura de Marabá, o projeto será executado no município e beneficiará, em um primeiro momento, a Praça da Juventude.

A extensão da FCCM já conta com o apoio psicossocial de profissionais da área, como psicólogo e assistente social, que dão total apoio aos alunos que integram a Praça.

Localizada no bairro KM 7, a extensão atende crianças e adolescentes das localidades vizinhas, como: Araguaia e Nossa Senhora Aparecida, que vivem em situações de alta vulnerabilidade.

“Nossa intenção é dar voz a essa triste realidade e capacitar o corpo escolar. Os temas serão abordados de uma maneira orientativa, preventiva e pedagógica. O projeto não tem um viés de punição e nem de balcão de denúncias”, explica Renata Guerreiro.

A inclusão social realizada pela Praça da Juventude por meio da dança, música, teatro e esporte irão contribuir para que o projeto ganhe força e seja realizado de uma forma mais leve e lúdica.

“A cada palestra, peça de teatro, musicalização, roda de conversa… uma fila irá se formar de gente querendo conversar, desabafar. E, muitas vezes, não falam diretamente sobre o assunto, e isso é natural. Temos que estar preparados para ouvir naquele momento e precisamos ter tempo. Precisamos acolher”, ressalta a juíza.

Para a presidente da FCCM, Vanda Américo, essa parceria é de suma importância e faz parte do papel social da Casa. “Somos, também, uma escola, e precisamos orientar nossas crianças e adolescentes. Aqui eles são respeitados, bem cuidados e bem orientados. Vamos fazer a nossa parte, e essa parceria veio pra somar o trabalho que já realizamos. Agora, estaremos com um suporte maior e melhor orientados judicialmente”, fala.

No dia a dia da Praça, Gilberto Gil, coordenador da extensão, fica feliz com mais essa benfeitoria para os alunos do projeto. “Tenho certeza que iremos fazer um trabalho de excelência e iremos contribuir para crianças e adolescentes não sejam vítimas de nenhum tipo de violência sexual”, finaliza.

O Projeto “Minha Escola, Meu Refúgio” está em fase de conclusão e em breve o lançamento será feito na sede da Praça da Juventude.

 

Texto e fotos: Ana Mangas (ASCOM/FCCM)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Pular para a barra de ferramentas