Educação Patrimonial e o trabalho de valorização da cultura de Marabá

Com o objetivo de valorizar e proteger o patrimônio cultural marabaense, o setor de Educação Patrimonial, da Fundação Casa da Cultura de Marabá, tem buscado sensibilizar sobre a importância da história cultural, dos valores culturais, promovendo e estimulando a memória e os projetos pedagógicos ligados à cultura local.

Sempre buscando dar visibilidade às identidades e referências culturais locais, a FCCM tem em seu histórico projetos que envolvem também o âmbito escolar.
“Nesses projetos nosso setor tem exercido a função de unir o conhecimento oferecido pelo programa curricular com o conhecimento tradicional das comunidades. Então, por meio de metodologias como palestras e oficinas, os estudantes são estimulados a se perceberem como sujeitos históricos”, diz Ramon Cabral, educador patrimonial da FCCM.

Educadores patrimoniais da FCCM: Orlandina Saraiva, Isaque Souza, Mirtes Emília e Ramon Cabral

Atualmente, por meio de metodologias e publicações, o setor tem tem criado mecanismos para que o povo marabaense conheça e se envolva com os assuntos ligados à cultura e história local.

Além disso, a Lei Municipal 17.261/2008 atribuiu à FCCM a competência, na esfera municipal, de proceder em relação ao tombamento/registro e proteção do patrimônio cultural marabaense. Mais um serviço adicionado ao portfólio do setor de Educação Patrimonial da Casa da Cultura.

Recentemente foi lançado o livro A Festa do Divino Espírito Santo, idealizado por Vanda Américo, presidente da FCCM, e organizado por Ramon Cabral, coordenador do setor de Educação Patimonial. “O livro foi o resultado do trabalho de pesquisa da história da festividade e de suas lideranças”.

 

Texto: Ana Mangas (ASCOM/FCCM)

 

 

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Pular para a barra de ferramentas