Fé e devoção marcam a 30ª Romaria Fluvial do Divino Espírito Santo

Enormes bandeiras vermelhas – simbolizando o sangue de Jesus na cruz – e 28 embarcações – conduzindo devotos e foliões do Divino Espírito Santo – anunciavam, nas águas do Rio Itacaiunas, a 30ª Romaria Fluvial do Divino Espírito Santo.

A tradicional celebração inicia no porto do Bairro Amapá e encerra na Colônia de Pescadores Z-30, no Bairro Santa Rosa, na Marabá Pioneira, onde está localizada a Capela do Divino Espírito Santo

De acordo com a Associação dos Grupos de Divino, atualmente existem 19 grupos cadastrados em Marabá que estão distribuídos pelos bairros da cidade e também na zona rural.

Para a presidente da Fundação Casa da Cultura de Marabá, Vanda Américo, apoiar e investir na manutenção dos grupos de Divino é dar continuidade na tradição cultural e religiosa, iniciada desde a fundação do município, há mais de 100 anos.

Vanda sabe da importância da Festa do Divino e ressalta que a festividade faz parte da cultura da cidade. “Tivemos um dia todo dedicado para homenagear o Divino no Giro Cultural. A FCCM lançou um livro que narra a trajetória de todos os Divinos existentes em Marabá, e isso ajuda a fortalecer ainda mais a identidade religiosa. Essa festa faz parte da minha história. Sou do Bairro Santa Rosa, e é muito importante participar e manter viva essa tradição”, diz.

A festividade inclui cânticos, orações, danças, ofertas, devoção e fé.

Texto: Ana Mangas (ASCOM/FCCM)

Fotos: Ramon Cabral

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Pular para a barra de ferramentas