Projeto Reviver entrega mais de 1.000 mudas ao povo Suruí

O Projeto Reviver nasceu em março de 2018 na comunidade Aikewara com o objetivo de recompor parte das áreas devastadas pelo fogo, replantando espécies nativas da região, principalmente os castanhais. A parceria da Fundação Casa da Cultura de Marabá e Ministério Público do Estado do Pará contribui para que seja feito o reflorestamento do bioma na região e auxilie a economia das comunidades indígenas.

Nesta terça-feira, 13, o Projeto Reviver volta à Terra Indígena Sororó, localizada no município de São Geraldo do Araguaia, para entregar mais de mil mudas de árvores frutíferas e de essências florestais.

Na tarde da última terça-feira, 13, a vereadora e coordenadora do projeto, Vanda Américo, esteve acompanhada da juíza de Direito, Renata Guerreiro Milhomem, que foi conhecer a aldeia e o Povo Suruí e ver de perto como a comunidade cuida do meio ambiente.

“O projeto de reflorestamento ocorre a médio e longo prazo, é uma continuidade, de resiliência e persistência. E a comunidade Sororó abraçou esse causa. Esses jovens todos, os guerreirinhos, devem saber da importância da preservação do meio ambiente, da importância de plantar. Isso tem que fazer parte da educação do dia a dia não só da aldeia, mas de todos nós. A árvore que você plantar vai fazer a diferença no planeta sim”, disse Vanda Américo.

Ela disse que mudas entregues e plantadas em 2018 agora estão frutificando, ajudando a solucionar o problema da fome na comunidade, que não recebe recursos de empresas ou governos.

A promotora de Justiça, Josélia Leontina de Barros Lopes, que participa do Reviver, não pode comparecer na Terra Indígena, que possui cerca de 26 mil hectares e tem uma população de mais de 330 habitantes que vivem prioritariamente da extração da castanha, necessitando, assim, de um trabalho constante de monitoramento e equilíbrio entre extração e reposição de sementes e mudas.

“Estou muito feliz de conhecer a Aldeia Sororó. É uma aldeia unida, uma aldeia verde. Já estive em outras e não fomos recebidos, com uma recepção tão linda. A comunidade está aqui e isso demonstra a união da aldeia. Vocês são um exemplo de que é possível reflorestar. Parabéns a todos vocês pelo exemplo e pelo trabalho desenvolvido”, disse Renata Guerreiro.

O cacique Mairá Suruí ficou muito feliz com a visita dos membros do Projeto Reviver. “A Vanda é uma parceira nossa, assim como a Casa da Cultura e a doutora Josélia. Elas nos ajudaram na época da pandemia, conseguiram alimentos, conseguiram ajuda para que nossa escola fosse reformada. E agora estamos recebendo essas mudas de plantas que vão nos ajudar muito. Tem plantas frutíferas, é muito bom”, elogiou.

O Projeto Reviver possui um corpo técnico capacitado com biólogos, geólogos, etnóloga, arqueólogo, agrônomos e a incansável equipe do viveiro de mudas da Secretaria Municipal de Agricultura de Marabá. (Ana Mangas e Ulisses Pompeu)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Pular para a barra de ferramentas